quarta-feira, 22 de agosto de 2007




Já tinham 3 álbuns quando começaram a ser "o mundo" de alguém em Portugal (Nuno Calado, "Indiegente", Antena 3).
Só depois começaram, levemente, a fazer parte do meu mundo. Mundo esse que é demasiado preconceituoso e não lhes deu sequer uma ponte decente para esperarem pelo dia seguinte.
Começaram a fazer o 4º CD. Foi editado recentemente. E o vocalista diz que a banda se encontra num fase de "dar o salto" e sair do underground: para isso Madonna estendeu-lhes as mãos, as fitas e a maluquice no "Live Earth".
No dia 6 de Agosto, durante uma sessão mais ou menos com aspecto de sessão de "passar música", não houve o mínimo sinal de polícia a interromper uma autêntica festa cigana que se gerou num curto espaço de tempo. Até a canção recostar-se no refrão e quase chamar as peças de roupa a 5€ para a desbunda, deu para me arrepiar da cabeça aos pés com aquela espécie de "hino da rendição" ou qualquer coisa que assim se pareça.
Não estava ali um single qualquer: estava ali uma canção que ia jurar que tinha sido captada ao vivo e que os aplausos tinham sido cortados do "take".

Isto tudo também serve para informar que é esta mesma canção a responsável pelos ventos soberbos que levam tudo à sua frente nos últimos dias. Portugal está também agora a pagar os efeitos da terra que estremeceu e da relva que morreu há uma semana atrás.

Os Gogol Bordello não serão mais o mundo de ninguém: o Mundo já é seu.

E o vídeo é um misto de rir até não saber mais e da verdadeira atitude "punk", aquela que não conhece os seus próprios limites.

UPDATE (23-08-07): Cada insistência que faço nos Gogol Bordello serve como tela branca e límpida para imaginar o desagrado de algumas figurinhas públicas se algum dia ouvirem tal música. E também serve para imaginar a rídicula exposição de atitudes "punk" com excesso de "make-up". E também serve para me passar a irritação que nutro por muito determinadas pessoas que vão passando pela esquerda, pela direita ou com que, infelizmente, tenho que ver ou falar todos os dias.

Rio baixinho e ensimesmadamente como aquele rapazito pobre e engraçado que a certa altura do vídeo também quer tocar guitarra. Vejam.


3 comentários:

Kraak/Peixinho disse...

WEE! Blog novo!! :))

Os Gogol Bordello nunca preencheram muito o meu espaço, como sabes...

Cheers mate!

Strumer disse...

Os gogol bordello foram um dos nossos primeiros posts no anterior blog (com duração muito curta pois decidimos mudar-lhe o nome)! Já la vai quase um ano e só agora estes rapazes estão a dar o salto. Cada vez com mais hype, muito devido as suas muito boas (pelo menos segundo leio, pois nunca os vi) actuações ao vivo, estes rapazes fazem a festa por onde quer que passem. Inicialmente fizeram-me lembrar Kusturica...agora são eles proprios. Não sou especial fã...mas a verdade é que eles sabem o que fazem;)

já por cá tinha andando umas vezes, e desde já boa sorte para a remodelação do blog;)
vou adicionar;)

cumprimentos

My_Little_Bedroom disse...

Bom...rapazes

Kraak: não é um blog novo, é apenas uma solução provisória até à próxima semana, onde espero pôr em prática 70% das minhas ideias para o meu blog. Quanto aos Gogol Bordello, o meu desejo é, repito, que não assistamos a uma vaga de música cigana com influências punk ou vice-versa, porque este não é estilo que se ouça à vontade todos os dias, penso eu.

Strumer: bom ver-te por cá outra vez. Obrigado a ti e a mais alguns bloggers que me têm adicionado. Vale a pena mesmo criar mais ligações, mesmo que por vezes seja necessário comentar alguns blogs para as pessoas perceberem que estamos vivos enquanto visitamos os seus espaços. Fico contente por ver que partilhas o gosto pelos Gogol Bordello: eles de facto são imparáveis.

Abraços colegas!