quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Telefonemas para as suecas...

É fantástico acordar depois de um dia altamente stressante que teve uma noite fantástica e ouvir logo pela manhã uma daquelas músicas que põem qualquer um de pé quando a vontade é de regressar à cama. Era o caso da música cujo vídeo está mais abaixo e que pertence a um dos álbums, talvez, mais ignorados por este país, depois do furor aquando do concerto em Paredes de Coura (2006) que pude ver e ouvir. Não, infelizmente não era a MTV2 que já estava disponível no Pacote Clássico da TV Cabo. Era apenas a nova publicidade à OPTIMUS...

Não foi também difícil despertar a consciência e pensar em pequenas coisas:
- Depois dos Peter Björn and John, é mais uma banda sueca a ter a sua música associada à OPTIMUS. Será um reconhecimento, finalmente, de outras paragens na "pop" mundial, em particular da Suécia?
- De facto, as últimas escolhas da OPTIMUS (relembre-se os The Veils, os Mew e outros) só poderiam ser desta empresa: dizem as más línguas que é a mais cara, a com menor exposição ao público e a mais esquecida. Não sei se tenho uma boa ou má língua, mas garanto-vos que toda a boa música é, talvez vendo bem as coisas, "OPTIMUS". Ou pelo menos, parte dela.

Não vos posso garantir, no entanto, uma passagem deles por Portugal este ano, se bem que não ficava nada surpreso com esse eventual acontecimento.

Por agora, divirtam-se com o vídeo e a música, uma combinação excelente.



SHOUT OUT LOUDS - TONIGHT I HAVE TO LEAVE IT (OUR ILL WILLS, 2007)

3 comentários:

Kraak/Peixinho disse...

Os Mew são dinamarqueses, não? :)

O Astronauta disse...

É engraçado, um dia destes na conversa com um amigo, perguntava-me ele "de quem é isto? parecem os The Cure. A voz é igualzinha à do Robert Smith". E não é que o tipo tem razão? O tema é muito giro, mas chegam a ser escandalosas as semelhanças da voz do tipo com o Mr.Smith. Não que isso seja mau, pelo contrário.
Enfim, foi só uma nota de rodapé.
Abraços.

My_Little_Bedroom disse...

Amigo Astronauta: nem mais, os tiques vocais estão lá todos, mas confesso que seria mais fácil vir uma "espécie de sósia" do Robert Smith de países mais frios e não tão ligados à Inglaterra (pelo menos na pureza linguística). Na altura falhou-me referir essas parecenças: agora vamos ver o que acontece aos Shout Out Louds aqui em Portugal.

Cheers...